quinta-feira, outubro 23, 2008

Por que razão Serpa se chama “Serpa”?????

A lenda de Serpínia

Há muitos, muitos anos, vivia, numa longínqua terra para lá dos Pirinéus, uma jovem e formosa princesa, de seu nome Serpínia. Seu pai, Cófilas, era rei dos Túrdulos, uma tribo Ibérica.
Um dia, Serpínia e seu pai foram visitados por Rolarte, um rei celta de um país vizinho. Este,assim que viu Serpínia, imediatamente se apaixonou por ela e pediu a sua mão em casamento a Cófilas. Mas Serpínia, que sabia que Rolarte era mau, ambicioso e vingativo,declinou o pedido e seu pai acatou a sua decisão. Furioso, Rolarte partiu, jurando vingar-se.
Algum tempo depois, Serpínia e seu pai tiveram nova visita, desta feita do príncipe Orosiano. Este e Serpínia depressa se encantaram um pelo outro e resolveram casar. Rolarte, assim que soube, tratou de reunir os seus soldados e invadiu o reino de Cófilas. Orosiano morreu e Rolarte ficou ferido. Mas, ainda não satisfeito, jurou matar o pai e Serpínia que, prevenido a tempo,resolveu fugir para a outra banda da Península Ibérica.
Depois de muito andarem, chegaram a um local encantador. Campos verdes, flores inebriantes,água em abundância e oliveiras a perder de vista. Serpínia ficou maravilhada e Cófilas, depois de examinar a região, agradou-se da amenidade do clima e das terras férteis que prometiam abundância. Logo ali acamparam, nas margens do Rio Ana (hoje Guadiana) e escolheram local para construir uma cidade que viria a ser a capital do seu novo reino. Em homenagem a Serpínia, a formosa filha do rei Cófilas, a nova cidade ficou a chamar-se Serpa.

Isabel Lanzinha



4 comentários:

Anónimo disse...

AS fotos são LINDAS::::

Anónimo disse...

o blog está muito bom e este artigo ainda veio enriquece-lo mais, parabéns a toda a equipa!

Ana Saião Lopes disse...

Quem me dera lá voltar......existir este espaço para dar largas à criatividade é muito bom, estão todos de parabéns

margcont disse...

Serpa é realmente linda!...
Parabéns à Isabel e à equipa da Bibliotecaportaberta!...