quarta-feira, junho 02, 2010

Ontem Foi O Dia Mundial Da Criança!

clip_image002

Segundo estatísticas, a cada três segundos morre uma criança à fome neste planeta. Ao mesmo tempo, o mundo Ocidental está carregado de pimpolhos obesos, e “pirralhos” que fazem a mais incrível fita nos supermercados, só porque querem o novo brinde da caixa de cereais Chocapic. As meninas maquilham-se cada vez mais cedo, os rapazes estão cada vez mais agressivos, graças aos (dizem as más línguas) jogos de computador. Aliás, as grandes empresas descobriram a galinha dos ovos de ouro: se a criança gostar do produto que vê na televisão, os pais comprá-lo-ão. E, como se afirma no documentário que abaixo apresentamos (Criança, A Alma Do Negócio), os pais estão apenas algumas horas por semana com os filhos. A televisão faz-lhes companhia todos o dias. Assim, desde pequenas que são submetidas a uma lavagem ao cérebro, que só tem uma palavra: compra, compra, compra.

Há centenas de milhões de crianças que são raptadas e recrutadas à força para “trabalhar” em exércitos de supostos “grupos revolucionários”, que de revolucionário nada têm; centenas de milhões não têm hospitais nem escolas públicas em condições; centenas de milhões são vítimas de violência doméstica, de raptos e tráfico de escravatura e pedofilia. Para piorar o cenário, há dezenas de milhões que acabam órfãs, devido aos pais terem morrido de Sida ou por terem morrido em guerras tribais ou por terem morrido graças a mil e uma doenças…

No mundo Ocidental há demasiadas meninas, no mundo Asiático há excesso de rapazes, pois as famílias, assim que sabem que um bebé do sexo feminino vem a caminho, decidem logo abortá-lo. Acresce o facto de que a Humanidade não pára de crescer e já começa a não haver nem água nem comida nem ar para todos. Alguém vai ter que sair, já se diz por aí, ainda à porta fechada. Até quando?

A lista é, infelizmente, interminável e, por enquanto, não parece haver solução para este problema. Uma coisa nós já sabemos: quem paga a tarifa são sempre os fracos, a saber, as mulheres, os velhos e as crianças.

Este foi mais um Dia Mundial da Criança. De quantos mais precisaremos?

Documentário Criança, A Alma Do Negócio, parte 1 (Brasil)

Imagem aqui

3 comentários:

Lyta disse...

Nunca pensei dizer isto um dia (eu que sou uma «sobrevivente» do Maio/68 mas não é com «dias» que se vai lá. É com o regresso a certos valores que se foram perdendo pelo caminho, perda essa que foi tornando as pessoas, especialmente no Ocidente, egoístas, desinteressadas de tudo quanto não seja o seu bem estar imediato.É também urgente voltr a dar valor a uma Educação ue não seja apenas Instrução e, muito menos, «Aquisição de competências» em que ninguém adquire competência nenhuma, Daí a importância do vosso BLog que vai lançando as sementes. Algumas acabarão por germinar...
Lyta

Anónimo disse...

As mentalidades estão, de facto, a mudar e estão a mudar muito, muito depressa. Tudo isto graças à televisão, cinema, Internet, livros baratos, etc

Por outro lado, não nos devemos esquecer que o conceito actual que temos da criança é bastante recente: durante dezenas de milhares de anos, as crianças eram vistas como adultos em ponto pequeno e eram olhadas como sendo propriedade. Foi Jean Piaget que, no século XX, lançou as sementes, mostrando, através dos seus testes, que estes pequenos seres vivos nada têm a ver com os humanos de 18, 25, 40 ou 60 anos.

Ainda temos muito, mas muito para aprender...

Um abraço,

Sandra Costa

Manual disse...

Num artigo no nosso site, incluímos um link a este artigo. Pode verificar aqui: http://www.manualescolar2.0.sebenta.pt/projectos/sebenta/posts/345
Cumprimentos!